História

História

Final do século XIX... Itajaí era bem diferente do que é hoje. A cidade tinha pouco mais de 12 mil habitantes e apenas seis ruas: Pedro Ferreira, Lauro Müller, Quinze de Novembro, Felipe Schmidt, Camboriú e Hercílio Luz.

A República havia sido proclamada em 1889 e estourara a Revolução Federalista, deixando o Sul do país em estado de choque. A atividade social era o remédio para cicatrizar a ferida e resgatar a união das elites. Foi então que, em 21 de março de 1897, apenas oito anos após a queda de Dom Pedro II, surgiu a Sociedade Carnavalesca Guarany, antigo nome da Sociedade Guarani.

O movimento do comércio se concentrava na rua Pedro Ferreira e a atividade econômica de Itajaí era baseada no porto é que servia de escala para as linhas de navegação Rio de Janeiro; Santos; Rio Grande e escoadouro natural da produção excedente dos colonos imigrantes da região.

Além da atividade mercante, o porto servia ao constante movimento de novas levas de imigrantes à famílias que chegavam da Alemanha, Itália, Polônia e outros países da Europa e embarcavam no "vapor" com destino a seus novos lares no Vale do Itajaí.

Este nome se deveu ao fato de que o Guarani desenvolvia apenas atividades ligadas ao carnaval. Anos depois, investiu também em atividades sociais, recreativas, culturais e esportivas, criando corpo de teatro, orquestras e modalidades esportivas norte-americanas, como tênis, basquete e vôlei.

A influência norte-americana na elite brasileira era grande, permanecendo por muitos anos e ganhando forças na década de 50 do século passado. O estilo californiano, visto nas telas de cinema, levou a construção da sede da Sociedade Guarani na rua Hercílio Luz, inaugurada em 1953, inspirada nas belíssimas mansões dos artistas de Hollywood.

A sede antiga, na rua Manoel Vieira Garção, ficou muito pequena para o crescente movimento do Guarani e o então presidente Genésio Miranda Lins projetou a nova sede social, construída com grande dificuldade.

Anos depois, na gestão do então presidente Gil Nascimento (1969-1973), foi adquirido o terreno na Praia Brava, tendo se investido 107 mil cruzeiros em dinheiro e 58 mil cruzeiros de uma dívida com o Estado de Santa Catarina, além da permuta de títulos patrimoniais de 174 sócios. A aposta no futuro que Gil Nascimento fez levou à inauguração, em fevereiro de 2014, da bela sede esportiva.