Informe 119

Informe 119

30 de dezembro de 2020

Em reunião realizada dia 30/novembro passado, o Conselho Deliberativo esclareceu que apenas em fevereiro/2021, conforme determina o artigo 83 do Estatuto Social, analisará a possibilidade de aumentar o número de títulos do clube em circulação, hoje definido em 700, mas decidiu que, a partir de 1º/dezembro/2020, filhos de sócios que desejarem adquirir um título na forma do art. 85 poderão fazê-lo, ultrapassando o teto.

Assim, hoje a Sociedade Guarani está com 706 títulos patrimoniais em circulação, sendo 692 títulos de sócios ativos e 14 títulos de sócios eliminados. Há ainda um título de sócio honorário, que não é hereditário (art. 12, par. 4º).

Entre os 692 sócios ativos há 691 sócios proprietários e um sócio não proprietário. Dos 691 sócios proprietários, 611 são sócios patrimoniais (incluindo seis filhos de sócios, fora do teto), 61 sócios remidos, um sócio benemérito e 18 sócios ausentes. O sócio não proprietário é um sócio temporário, que possui na verdade um certificado especial, mas que pode vir a adquirir um título, na forma do art. 97.

Entre os 14 sócios eliminados há 12 sócios remidos e dois sócios patrimoniais. Para que tais títulos sejam cancelados, e o clube possa deles dispor livremente, é necessário, de acordo com o art. 94, que o total de débitos ultrapasse o valor do título, o que ainda não ocorreu.

Ontem, dia 29/dezembro/2020, a Diretoria Executiva, representada pelo seu presidente Alexandre Kleis e pelo seu diretor secretário Murilo Chaves, baixou o ato normativo 54, que “estabelece a renumeração dos títulos patrimoniais e dos certificados especiais” do clube.

Para tanto, os títulos patrimoniais e os certificados especiais ativos na data da criação deste ato normativo serão dispostos em duas relações, ambas em ordem cronológica crescente de data de aquisição: uma relação com os títulos patrimoniais adquiridos a partir de 1º/dezembro/2020 na condição de filho de sócio e outra relação com os demais títulos patrimoniais e os certificados especiais adquiridos a qualquer tempo e na forma que tiver sido. Se dois ou mais títulos patrimoniais e/ou certificados especiais foram adquiridos na mesma data, estes serão dispostos em ordem alfabética do primeiro nome do titular. Isto feito, os títulos patrimoniais e os certificados especiais constantes da segunda relação serão renumerados de 0001 a 0700 e os títulos patrimoniais constantes da primeira relação serão renumerados de 0701 em diante.

Está sendo idealizado documento que simbolize o título de propriedade, que deverá, nas condições do art. 29, ser entregue pelo presidente da Diretoria Executiva a cada sócio, a partir de janeiro/2021.

A fim de permitir à Secretaria do clube organizar seus arquivos, o ato normativo estabelece que as alterações no cadastro de títulos via aquisição ou transferência ficam suspensas até dia 5/janeiro/2021.

Por fim, vale destacar que, devido a chamada de capital de 36 parcelas de R$ 100 que começa a ser cobrada em janeiro/2021, o valor do título passa de R$ 10.000 para R$ 13.600 e, consequentemente, a taxa de admissão passa de R$ 2.000 para R$ 2.720 e a taxa de transferência passa de R$ 3.000 para R$ 4.080.