Informe 110

Informe 110

1º de julho de 2020

No dia 1º/julho foi realizada a décima quinta reunião da Diretoria Executiva da gestão 2019-2021 da Sociedade Guarani, na sede da Praia Brava, com a ausência do vice-presidente Marcelo Heusi (por motivos profissionais).

Secretaria
A Diretoria Executiva voltou a discutir a questão dos sócios remidos. O presidente Alexandre Kleis lembrou que há 11 sócios que já atingiram ou estão prestes a atingir a condição de remissão (35 anos de associado E 70 anos de idade E não ultrapassar 15% do total de sócios), mas que lhes cabe solicitar a remissão (art. 10). Havia se cogitado a hipótese de a secretaria do clube assumir a responsabilidade de informar a possibilidade a cada sócio, mas, ponderando melhor, se considerou que isso representaria uma renúncia de receita, e se decidiu assim não se proceder.

O sócio Henrique Barrios disse que sua sogra, divorciada, com mais de 70 anos e com problemas de locomoção, é sua dependente, e solicitou que excepcionalmente, sua mãe viúva, de 67 anos, possa também assim ser considerada, já que ambas dividirão o mesmo apartamento e a segunda é praticamente cuidadora da primeira. Salientou que, com esta inclusão, se respeitará o limite de dois dependentes do art. 15, V. A Diretoria Executiva percebeu a atipicidade da situação e autorizou.

Tesouraria
Foi informado que o índice de inadimplência das mensalidades permanece baixo, não obstante a paralisação decorrente da pandemia do novo coronavírus. Em 1º de julho, a inadimplência de junho era de 2,5%, a de maio era de 1,2%, a de abril era de 0,3%, a de março era de 0,2% e a de fevereiro era de 0,0%.

“Guarani 2035”
O presidente Alexandre Kleis disse que, por sugestão do presidente do Conselho Deliberativo Dr. Eduardo Brandão, o conjunto sócio-esportivo que está sendo construído será denominado Conjunto Sócio-Esportivo Panorâmico, e que, por sugestão da comissão que estuda o assunto, formada por Fábio Rosa, Eduarda Werner, Emerson Pereira e Flávio Schmidt, seus ambientes serão denominados vestiário central, bar do esporte, espaço Canto do Morcego, salão de festas Brava e mirante Lagoa do Cassino. A Diretoria Executiva aprovou as denominações. O presidente disse que novamente apresentou ao Conselho Deliberativo a necessidade de ser feita uma chamada de capital para conclusão do equipamento, e que o órgão decidiu aguardar o orçamento da cobertura provisória das quadras de tênis e de pádel para se pronunciar. Foi informado que estão sendo elaborados materiais de divulgação da nova estrutura, incluindo banner, panfletos e vídeos a serem encaminhados aos sócios. A Diretoria Executiva está preocupada com a deterioração da construção, e envidará esforços para a retomada da obra.

O diretor de patrimônio Marcos José da Silva disse que a comissão criada para estudar a cobertura das citadas quadras, formada por Dheny Kowalsky, Fabiano Queiroz, Harry Werner e Pedro Vianna, está trabalhando com bastante empenho buscando definir o modelo e o orçamento.

O presidente Alexandre Kleis trouxe um fato novo. Inicialmente, relembrou que na reunião de 28/outubro/2019 havia dito que a “Acquaplan (...) está trabalhando na obtenção da licença ambiental provisório (LAP) para a execução da segunda fase do Plano Diretor, mas que a possibilidade da criação de um parque linear às margens da lagoa e do ribeirão do Cassino estariam obstaculizando a concessão da autorização”. De fato, correspondência do INIS (então FAMAI) informava que, enquanto não se resolvesse a questão da criação do parque linear na Praia Brava, não seria concedida licença ambiental para a expansão pretendida pelo clube, de cerca de 10 mil metros quadrados, exatamente para a construção de quadras de tênis e de pádel cobertas. Tendo em vista esta situação, a Diretoria Executiva tem trabalhado com a Nova Itajaí, proprietária do terreno vizinho, para encontrar uma solução alternativa, o que envolveu visitas ao superintendente do órgão ambiental e ao prefeito de Itajaí, bem como a realização de uma assembleia geral extraordinária solicitando autorização para a cobertura provisória das quadras existentes. Então, informou que, para surpresa de todos, o INIS enviou agora novo ofício dizendo que poderia sim conceder a licença ambiental desde que atendidas duas condições. A primeira condição seria a averbação na matrícula do imóvel da Praia Brava de uma área equivalente, destinada a preservação permanente, e a segunda condição seria a aquisição de uma área equivalente na microbacia do rio Itajaí-Açu. Com relação à primeira condição, a Acquaplan está estudando o melhor local; definida, uma assembleia geral deverá aprovar (art. 118, I); com relação à segunda condição, o Conselho Deliberativo autorizou a compra, estabelecendo um teto por metro quadrado.

Por sugestão do diretor de patrimônio Marcos José, a definição do local deverá ser precedida de um estudo da área de 396 mil metros quadrados que a divida em quatro zonas: (1) área já utilizada, (2) área por utilizar, (3) área de preservação legal, (4) área para ceder para preservação, caso necessário. O presidente, o vice-presidente Marcelo Heusi e o diretor Marcos José se reunirão em breve com a Acquaplan para esta tarefa.

Tendo em vista este fato novo, a cobertura provisória das atuais quadras deverá ser repensada. O presidente Alexandre Kleis disse que esta informação foi repassada ao Conselho Deliberativo.

Por fim, o diretor de patrimônio Marcos José e o diretor jurídico Dr. Rodrigo Xavier disseram que passaram as últimas duas semanas estudando o contrato com a empresa paulista que construirá o playground, buscando ajustá-lo, e que tal tarefa foi encerrada. Ideia é assinar nos próximos dias, para dar início às obras.

Patrimônio
O diretor jurídico disse que há meses se tenta que a SkyPadel, empresa que montou as duas quadras de pádel, não resolve os problemas apresentados nas quadras, não cumprindo o acordo extrajudicial que fora firmado. Assim, decidiu-se que o clube contratará a confecção de um laudo técnico dos problemas, notificará a empresa e fará os consertos; posteriormente, se cobrará os custos da empresa. O diretor de patrimônio disse que continuam as negociações para ampliar a internet disponibilizado aos sócios, tendo em vista que as informações iniciais não estavam corretas. Foi apresentada ponderação do conselheiro Waguinho Lanfranchi a respeito das coberturas das apólices de seguro do clube; o presidente irá nomear uma comissão para se debruçar sobre o assunto.

Social
O diretor Marcos José sugeriu que o clube tivesse uma ação social voltada a crianças carentes da região próxima ao clube. O assunto voltará a ser debatido.