Informe 107

Informe 107

4 de junho de 2020

Pergunta 1. Qual a “ordem do dia” da Assembleia Geral Extraordinária deste sábado, dia 6?
Resposta. Aprovação da proposta de cobertura provisória de duas quadras de tênis e das duas quadras de pádel, com utilização de recursos do caixa do clube e do superávit operacional mensal.

Pergunta 2. Por que as coberturas serão instaladas de forma provisória?
Resposta. O Plano Diretor prevê a construção de duas quadras de tênis e duas quadras de pádel em local ainda sem licença ambiental. Como, apesar dos esforços da Diretoria Executiva, a concessão da licença deve demorar, propõe-se cobrir as atuais quadras e, mais adiante, transferir esta cobertura para o local definitivo.

Pergunta 3. Por que não considerar definitivas estas coberturas?
Resposta. Esteticamente cobrir as atuais quadras não é a melhor solução. Quando da concepção do Plano Diretor, já se previu que as quadras cobertas ficariam no local hoje ainda com cobertura vegetal pois há um desnível de vários metros que “esconde” a cobertura para quem vê o clube a partir da portaria.

Pergunta 4. Qual o custo desta obra?
Resposta. Foi elaborado um orçamento de referência pelo engenheiro civil Daniel Krobel, professor de Estruturas Metálicas da Univali, com quase 20 anos de experiência na área, que prevê um custo de R$ 1,3 milhão.

Pergunta 5. Tudo isso?
Resposta. Este é, como dito, um orçamento de referência, que se subdivide em vários itens (fundações, estrutura metálica, telhas metálicas...). Cada item será objeto de solicitação de orçamentos específicos e de negociação com os fornecedores.

Pergunta 6. Há necessidade de uma assembleia para decidir se instala ou não as coberturas de forma provisória?
Resposta. Sim, por dois motivos: o custo ultrapassa R$ 280 mil, que é o teto do Conselho Deliberativo, e a instalação não se dá de forma definitiva.

Pergunta 7. Por que cobrir estas quadras e não concluir o complexo de vestiários do futebol, bar do esporte e salão de festas, que está inacabado?
Resposta. A Diretoria Executiva apresentou ao Conselho Deliberativo uma proposta que previa concluir o complexo, cobrir as quadras e construir o playground. O Conselho Deliberativo houve por bem aprovar a construção do playground (por R$ 180 mil, ou seja, dentro de sua competência), mas não, neste momento, concluir o complexo.

Pergunta 8. Por que o Conselho Deliberativo não autorizou concluir o complexo?
Resposta. As três obras (conclusão do complexo, cobertura das quadras e construção do playground) exigiriam, além dos recursos do caixa do clube e do superávit operacional mensal, uma eventual captação externa e uma chamada de capital, de R$ 100 mensais por vinte meses a partir de outubro.

Pergunta 9. O que vai acontecer se a assembleia responder SIM à cobertura?
Resposta. Os trabalhos começarão, com previsão de conclusão ainda este ano. Paralelamente, a Diretoria Executiva levará ao Conselho Deliberativo a proposta de conclusão do complexo, com chamada de capital.

Pergunta 10. O que vai acontecer se a assembleia responder NÃO à cobertura?
Resposta. A Diretoria Executiva levará novamente ao Conselho Deliberativo sua proposta de concluir o complexo e cobrir provisoriamente as quadras.